';
side-area-logo
UMA ANTA NA PORTA AO LADO


A Anta do Estanque entre 1898 e 1900, em fotografia de J. Leite de Vasconcelos.

A anta do Estanque situada em plena aldeia de São Geraldo constitui um claro exemplo de como os monumentos megalíticos foram integrados nos quotidianos das populações ao longo dos tempos e de como foram sendo aproveitados para as mais diversas funções.

A anta do Estanque integra-se num importante conjunto megalítico que percorre ambas as margens da Ribeira de Lavre e em que, pela sua monumentalidade, se destacam a anta Grande da Comenda da Igreja e as duas antas do Paço.

Esta anta que integrava em tempos a Herdade da Comenda foi adossada a uma habitação cuja construção terá certamente mais de 100 anos. A habitação sofreu ao longos dos anos diversas obras de beneficiação, contudo a anta manteve-se quase sempre inalterada, servindo as diversas utilizações domésticas que lhe foram dadas. Foi galinheiro, coelheiro, local de arrumação de bens e local onde se fazia o lume de chão e os respetivos cozinhados.

A anta do Estaque é constituída por câmara sepulcral, de cuja estrutura original ainda são visíveis 7 esteios, dos quais dois se encontram embutidos nas paredes da habitação. Da mamoa não restam quaisquer vestígios. Atualmente do corredor apenas resta 1 esteio, embora no início do século XX ainda fossem visíveis pelo menos três esteios.

Apesar de nunca ter sido escavada, a anta despertou a curiosidade dos investigadores, nomeadamente de Leite de Vasconcelos que procedeu a escavações em diversos monumentos desta zona e que soube da existência desta anta tal como o comprova a fotografia de inícios do século XX que partilhamos em cima.

https://youtu.be/4aLbg5ZCw0A?t=7m7s

Carlos Carpetudo