';
side-area-logo
UMA RUA NOVA COM CINCO SÉCULOS


A Rua 5 de Outubro no início do século XX.

A 20 de abril de 1534, a Câmara de Montemor recebe uma carta de D. João III em que este manda estabelecer os limites de uma rua que se estava a abrir entre o “Poço do Pássaro” (atual Rua do Poço do Passo) e S. Sebastião de modo a que as habitações que então se encontravam em construção não ocupassem espaço da rua pública.

A atual Rua 5 de Outubro tem assim origem no século XVI, altura em que o arrabalde da vila se encontrava em franca expansão e em que era necessário a construção de uma nova via, larga o suficiente que permitisse a passagem de pessoas e bens. Dez anos depois da carta de D. João III a rua é mandada calçar e aparece já com o nome de “Rua Nova” por ser a mais recente via situada a sul da vila.

Arraste a barra para ver a fotografia da Rua Nova hoje em comparação com uma fotografia de 1928 durante o Raid ao Alentejo (Fonte: Biblioteca de Arte Gulbenkian – Autor: Mário Novais).

A Fonte da Rua Nova ao fundo e um dos Santos Passos da Cidade em fotografia tirada para colecção de postais. Clique para ver maior.

Até à construção da Avenida Gago Coutinho, já no século XX, esta era a rua com maior tráfego e a mais importante da vila, sendo por isso a escolhida pelas famílias da nobreza e burguesia montemorenses para a construção das suas casas de habitação, como o atestam os vários brasões que ainda hoje se podem observar na frontaria de algumas casas.

Em 1806 a Câmara manda erguer uma fonte na zona mais baixa da rua. Esta fonte, construída em mármore possui um chafariz com a fonte ao centro para onde a água é lançada através de quatro gárgulas antropomórficas. A fonte é encimada por um obelisco que termina com um brasão de duas faces com os símbolos régios e concelhios. Ao cimo da rua existiu entre 1882 e 1922 o Teatro Montemorense, destruído por um incêndio neste último ano.

Aquando da passagem por Montemor da Rainha D. Maria II e de D. Fernando, acompanhados da sua comitiva, em 1843, a Câmara manda embelezar diversos locais por onde passaria a comitiva entre os quais a Rua Nova que, na sua parte mais alta, recebe um arco triunfal de louro, buxo e flores.

Na extremidade mais baixa desta rua podemos observar um portal em mármore que constitui um dos santos Passos. Esta porta é aberta aquando da procissão do Senhor Jesus dos Passos que se realiza nos Domingos de Ramos e que dá inicio às cerimónias da Semana Santa.

Tal como aconteceu com tantos outros topónimos em Montemor e por todo o país, com a implantação da Republica em 1910, também a Rua Nova muda de nome e, a partir de 11 de outubro de 1910, passa a chamar-se Rua 5 de Outubro.

Carlos Carpetudo