';
side-area-logo
A PRAÇA DA REPÚBLICA – A SEDE DE PODER DO ANTIGO MUNICÍPIO DE LAVRE


O edifício da Igreja da Santa Casa da misericórdia, sendo dos poucos edifícios em Lavre que resistiu ao terramoto de 1755.

O território de Lavre foi ocupado desde os tempos pré-históricos como o atestam os vestígios do paleolítico deixados na Ribeira de Lavre e as inúmeras antas da região. As referências mais antigas que se conhecem para a vila de Lavre datam de finais do século XII e inícios do século XIII, altura em que integrava o concelho de Montemor.

Em 1304 recebe foral de D. Dinis e passa a constituir sede de concelho, algo que se mantém até 1834. Da antiga vila medieval já muito pouco resta, uma vez que o terramoto de 1755 teve efeitos devastadores na região, restando do antigo castelo apenas a Torre do Relógio. Segundo as Memórias Paroquiais de 1758, a igreja Matriz, que certamente ficava próxima do castelo, ruiu por completo, aliás como grande parte das casas da povoação.

A entrada para o edifício onde se situariam os Paços do Concelho em Lavre.

A atual Praça da Republica constituía o centro da vida política, administrativa e religiosa de Lavre. Aqui se situavam os Paços do Concelho e Hospital, o Pelourinho e a Igreja da Misericórdia. O edifício dos Paços do Concelho possui dois pisos tendo sido utilizado como hospital, câmara e cadeia. Do edifício original dos Paços do concelho, de origem medieval, pouco ou nada se sabe, à exceção que o mesmo foi destruído pelo terramoto. Nessa altura já não funcionava como hospital, mas sabe-se que a cadeia ainda funcionava porque segundo as Memórias Paroquiais o único homem que à altura se encontrava encarcerado conseguiu escapar à derrocada. Após a extinção do município de Lavre, a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo cede o edifício à Santa Casa da Misericórdia.

A base do antigo pelourinho, assim como (ao fundo) alguns fragmentos depositados próximo da Praça da República.

Do Pelourinho original resta apenas a sua base e alguns fragmentos espalhados pelas imediações. A localização original do Pelourinho não deveria ser a mesma onde se encontra atualmente uma vez que este marco do poder judicial ocupava sempre um lugar central nas localidades, situando-se muito possivelmente no centro da Praça, em frente ao edifício dos Paços do Concelho.

Segundo Túlio Espanca, a Igreja da Santa Casa da Misericórdia não deverá ser anterior ao século XVII. Possui uma única nave e nos alçados podem observar-se pinturas a fresco de temática religiosa atribuídas ao século XVIII, embora com restauros posteriores. Este foi um dos únicos edifícios da vila de Lavre que resistiu ao grande terramoto de 1755, daí que, nos anos subsequentes a paróquia da vila se tenha transferido temporariamente para esta Igreja.

Mais recentemente, o Coreto veio embelezar o centro da praça, fazendo jus à tradição musical da vila, sede da Banda Filarmónica Simão da Veiga .

Carlos Carpetudo