';
side-area-logo
Home // Museu Virtual // Cântaro de Cerâmica Montemorense

Com referências documentais e dados arqueológicos que traçam a actividade oleira em Montemor-o-Novo desde, pelo menos, o século XIV, terá sido no século XVI que este centro oleiro alentejano atingiu a sua época áurea colocando-o ao nível de outros grandes centros de produção cerâmica tais como Estremoz, Évora ou Lisboa. Aclamada pela sua frescura, a cerâmica de Montemor possuía várias características que lhe eram inerentes e que atribuíam a sua especificidade, face aos demais centros oleiros da região alentejana, tais como: o cheiro, o aspecto grosseiro e a coloração.
Mais do Museu Virtual