';
side-area-logo
A relação entre a tipologia cerâmica e os hábitos alimentares intramuros no período tardo-medieval e moderno em Montemor-o-Novo


Ao longo da última década, as escavações arqueológicas no Castelo de Montemor-o-Novo têm revelado um conjunto de estruturas habitacionais junto à porta de Santarém, na parte central da vila, onde se considera que existiria a antiga judiaria montemorense. Neste contexto, têm sido vários os silos encontrados entulhados com vários sedimentos de lixo doméstico. Em 2009, foi encontrado um novo silo , enquadrado dentro de um compartimento de uma habitação de consideráveis dimensões, do qual o espólio cerâmico aqui em estudo é oriundo. A presença de três moedas no interior do silo (apenas duas com leitura) permite-nos atribuir uma datação relativa, contudo com uma baliza cronológica ampla, entre os séculos XIV e XV. Após o processo de análise e restauro do espólio cerâmico, foi possível identificar 15 morfologias diferentes e 152 peças distintas ligadas ao espaço doméstico e que nos permitem chegar a algumas conclusões no que diz respeito aos hábitos alimentares intramuros.

Carlos Carpetudo